Nota complementar 2 – Em tempo de COVID – 19 sobre as missas

“Senhor, dá-nos sempre deste pão.

Jesus lhes disse: ‘Eu sou o Pão da vida.

Quem vem a mim não terá mais

fome e quem crê em mim nunca

mais terá sede”. (Jo 6, 34-35).

 

Caríssimos irmãos presbíteros e querido Povo de Deus da Diocese Sagrado Coração de Jesus: Saúde e Paz!

Auscultando, com o coração de pastor, o Clero, o Povo de Deus, as orientações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), os decretos das autoridades civis de nosso estado, e, ciente de que o momento vivenciado é de gravidade e temos como dever cuidar da vida a exemplo de Jesus, nosso mestre e Senhor que disse: “Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham em abundância.” (Jo 10,10,), considerando que:

– Verificado o bom e fiel cumprimento da quarentena de Isolamento Social em nossas cidades e paróquias e o seu positivo resultado da não proliferação do Covid-19.

– Considerando o atual quadro estável da pandemia e percebendo que a maioria dos municípios de nossa diocese não apresentam nenhum caso positivo do Covid-19.

– Considerando que os governos, estadual conforme decreto Nº 462 de 22/04/2020 e os municipais com seus decretos próprios, abriram a possibilidade de celebrações de missas presenciais com importantes regras e exigências sanitárias de prevenção e contágio.

– Seguindo e respeitando todas as orientações dos Organismos e Secretarias de Saúde e da Vigilância Sanitária, bem como dos profissionais de saúde: médicos, médicas, enfermeiros, enfermeiras, agentes e servidores dos hospitais.

– Seguindo o consenso dos bispos do Regional Oeste 2 da CNBB-MT em abrir gradualmente a possibilidade das celebrações de missas, desde que não firam as orientações e exigências das Instituições superiores, e, desde que se mantenha o quadro estável da pandemia do Covid-19 em nossa região.

HAVEMOS POR BEM COMO DIOCESE:

Abrir as celebrações das missas com a participação de fiéis, de forma limitada, organizada e gradual respeitando sempre as orientações e exigências das autoridades superiores (decretos municipais e estadual).

– Orientamos a começar com os pequenos grupos de lideranças paroquiais, treinando-os para auxiliar na aplicação das regras de prevenção ao contágio, e, em seguida, abertura progressiva a comunidade.

– Recomendamos a todos que utilizem as máscaras de proteção. Que as paróquias façam a utilização de materiais de higienização para as mãos. Evite-se o contato físico entre as pessoas, obedecendo uma distância mínima recomendada pelos decretos municipais. Que a sagrada comunhão seja recebida na mão.

– Recomendamos as pessoas que estão em grupos de risco (idosos, hipertensos, diabéticos…) que evitem a participação nas missas. Recordamos que o templo de Deus é Cristo Jesus e a Igreja é seu corpo místico, formado de pedras vivas que são os fiéis, portanto, pedimos que continuem firmes na oração em família, pois “onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome eu estou no meio deles” (Mt 18,20). E que os ministros ordinários e extraordinários continuem atentos para atender espiritualmente os que estão no grupo de risco.

– Que permaneçam as transmissões das missas pelos meios de comunicação social e pelas redes sociais para as famílias em suas casas. Aliás muito bem aceitas e participadas pelas famílias em suas Igrejas Domésticas. Continue-se também todas as orações, devoções, novenas, a Oração da quarentena a Nossa Senhora e o terço nas famílias, especialmente neste mês de maio como nos pede o Papa Francisco.

– Relembramos que, mesmo com esta flexibilização na celebração da missa, a nossa primeira nota sobre a prevenção do Covid-19 de 18 de março de 2020 continua em vigor, e com todo rigor. Portanto, as atividades pastorais que originem aglomerações sejam evitadas, assim como as celebrações dos demais sacramentos, ressalvo situações adversas.

Caso estas orientações e exigências não sejam respeitadas, ou diante do agravamento do quadro da pandemia do Covid-19, voltaremos a quarentena mais rigorosa, causando a suspensão das celebrações eucarísticas com o povo.

Confiamos aos párocos e suas lideranças a responsabilidade, para mais eficazmente, orientar e aplicar esta abertura para as celebrações presenciais com o Povo de Deus.

Estas orientações entram em vigor a partir do mês de maio de 2020.

Finalmente, tenhamos muita calma, prudência e caridade para vivenciarmos cristãmente este momento.

Que nosso compromisso seja com a vida, dom de Deus, e que o Espírito do Senhor Ressuscitado nos ilumine e conduza.

 

Com a Benção do Deus da vida, o Pai, o Filho, e o Espírito Santo. Amém

Sinop, 29 de abril de 2020.

 

 

Dom Canísio Klaus

Bispo Diocesano de Sinop- MT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima